29 de abr de 2011

Menor aliança de casamento do mundo é feita de DNA

Menor aliança de casamento do mundo é feita de DNA: "As nano-alianças são um marco na nanotecnologia de DNA porque, ao contrário das nanoarquiteturas feitas com DNA até hoje, elas não são fixas, variando seu formato de acordo com as condições ambientais."
 As nano-alianças de casamento, as menores do mundo, foram feitas com fitas de DNA que se montam sozinhas. [Imagem: Alexander Heckel]

Cientistas criaram anéis de DNA, que eles chamam de alianças de casamento, medindo apenas 18 nanômetros de diâmetro.
Contudo, se uma aliança de DNA não for o suficiente para manter a união, uma corrente pode ser a solução: como são construídos individualmente, os anéis podem ser interconectados, formando os elos de uma corrente que, teoricamente, pode ter qualquer tamanho.

Leia a matéira completa em :http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=menor-alianca-casamento-mundo-dna&id=010165110413


O que existia antes do Big Bang?

"Uma nova interpretação de registros dos primeiros instantes após o Big Bang está lançando as primeiras luzes sobre o que existia antes do Big Bang e o que foi exatamente que explodiu."

Redação do Site Inovação Tecnológica - 05/01/2009

O que existia antes do Big Bang?
NASA/WMAP[Imagem: Mapa da radiação cósmica de fundo]

"Já não é mais completamente maluco perguntar o que aconteceu antes do Big Bang." A afirmação é de Marc Kamionkowski, coordenador de um grupo de astrofísicos de uma das principais universidades dos Estados Unidos, a Caltech.

O que existia antes do Big Bang?

Até agora acreditava-se que a violenta expansão que deu origem ao nosso universo foi forte o suficiente para eliminar qualquer traço do que existia antes. Mas uma nova interpretação de registros dos primeiros instantes após o Big Bang pode lançar alguma luz sobre o que existia antes e o que fez com que espaço e tempo inflassem, aumentando continuamente as distâncias físicas entre quaisquer pontos participantes desse movimento inflacionário.

A nova teoria procura explicar as "anomalias" verificadas nos dados, que mostram variações no que deveria ser uma distribuição perfeitamente uniforme da radiação e da matéria no Universo.

Inflação cósmica

A teoria atual baseia-se em um fenômeno chamado inflação cósmica, que propõe que o espaço expandiu-se exponencialmente no instante seguinte ao Big Bang. O problema é que isso resultaria em um universo perfeitamente uniforme. E todas as observações indicam que há variações gigantescas entre as diversas regiões do Universo.

Radiação cósmica de fundo

Além disso, os cientistas detectaram uma anomalia nos dados da Radiação Cósmica de Fundo (CMB, na sigla em inglês), uma radiação na faixa das microondas que inundou o Universo 400.000 anos depois do Big Bang.

A CMB é uma espécie de brilho do Big Bang, que decaiu para microondas à medida que o Universo se expandia ao longo dos 13,7 bilhões de anos que se seguiram desde o seu surgimento. Se nossos olhos conseguissem enxergar essa faixa das radiofreqüências, nós veríamos um céu inteiramente brilhante.

Anomalia com certificado

Dados da sonda espacial WMAP (Wilkinson Microwave Anisotropy Probe), da NASA, mostram que a amplitude nas flutuações da CMB, que seria consistente com o modelo da inflação espacial, na verdade não é a mesma em todas as direções.

"É uma anomalia adequadamente certificada," explica Kamionkowski. "Mas como a inflação cósmica parece lidar bem com tudo o mais, parece prematuro descartar a teoria." Com isso, os pesquisadores inseriram a assimetria verificada nos dados no cerne da própria teoria da inflação cósmica.

Inflaton e curvaton

Até agora haviam sido propostos dois novos tipos de campos de energia como sendo os motores da inflação do Universo. O primeiro, chamado de inflaton, não passou nos testes da nova teoria. Mas a coisa funcionou com o segundo campo, chamado curvaton, que havia sido proposto anteriormente para explicar as flutuações observadas na CMB.

Variações no campo curvaton afetam apenas como a temperatura varia de um lugar para outro no Universo, mas mantém seu valor médio, mantendo a consistência do modelo da inflação cósmica. O novo modelo prevê que há uma maior quantidade de pontos frios do que de pontos quentes no CMB.

A nova teoria poderá ser testada já em 2009, utilizando a sonda espacial Planck, uma missão internacional coordenada pela Agência Espacial Européia, que deverá ser lançada em Abril do próximo ano.

Levantando o véu do Big Bang

A "perturbação" que os físicos introduziram no valor do curvaton ofereceu um ganho adicional: ela oferece o primeiro vislumbre sobre o que existia antes do Big Bang.

Isso porque a perturbação pode ser a resultante de um efeito herdado da época antes do início da inflação cósmica.

"Em termos observacionais, tudo isto está escondido por um véu," afirma Kamionkowski. "Se nosso modelo se sustentar, nós teremos a primeira chance de olhar além desse véu."

Bibliografia:

A hemispherical power asymmetry from inflation
Adrienne L. Erickcek, Marc Kamionkowski, Sean M. Carroll
Physical Review D
December 2008
Vol.: 78, 123520
DOI: 10.1103/PhysRevD.78.123520

Anti-hélio-4: descoberta mais pesada partícula de antimatéria

 "O estudo sobre as antipartículas é essencial para o avanço do conhecimento em aspectos fundamentais da física nuclear, da astrofísica e da cosmologia."
Antipartícula de hélio
Em 1911, o cientista neozelandês Ernest Rutherford (1871-1937) utilizou núcleos de átomos de hélio-4 - as chamadas partículas alfa - para demonstrar que os átomos têm sua carga positiva concentrada em um pequeno núcleo.
No trabalho de 2010, as antipartículas foram submetidas à coalescência - um processo análogo à condensação -, agregando dois antinêutrons e um antipróton, formando um antitrítio - isto é, um núcleo de antimatéria correspondente ao do átomo de trítio -, o isótopo do hidrogênio que possui dois nêutrons e um próton.
No trabalho atual, os pesquisadores conseguiram produzir um anti-hélio, com dois antiprótons e dois antinêutrons.
Ler a matéria, acesse:http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=anti-helio-4-antiparticula-antimateria-pesada&id=010130110425

26 de abr de 2011

BIG BANG SEXUAL

A vida eclodiu replicante no planeta, sem tons de azul, há cerca de quatro mil milhões de anos.
Biomoléculas contendo simultaneamente informação e “habilidade” autocatalítica de se replicarem, no interior de bolhas primevas delimitadas por películas lipídicas, deram a toada constante para o mote replicativo assexuado na biosfera.
 Desses tempos apreciamos a fidelidade na cópia eficiente e exacta da informação mais ajustada ao envolvente, capaz de garantir uma explosão exponencial de clones colonizadores da imensa solução aquosa que envolvia e arrefecia suavemente os resquícios da acresção planetária.
Ainda não encontramos fósseis terrestres desses primeiros tempos. Por isso são úteis quaisquer fósseis extraterrestres que corroborem esta hipótese e emprestem substância científica à ficção.
A replicação assexuada populou o planeta de seres unicelulares em suspensão aquosa. Cada novo átomo incorporado acrescentava excitação à duplicação até ao ajuste da estabilidade conforme à fidelidade original.
Uma chuva de elementos “supernovos”, jorrados pela explosão distante de uma supernova, causaria convulsões assexuadas muito excitantes para as bolhas replicantes.
Sob agitação constante em banho-maria” a vida terá evoluído de excitação em excitação, molecular e elementar, sempre com rima presa na assexualidade de uma exuberante mitose.
Pelo menos e tanto quanto sabemos durante uns dois mil milhões de anos, a vida pendulou assim até à incorporação, não de moléculas e elementos, mas de outras “bolhas replicantes”, num exercício deambulante de predação indiferenciada.
 E, numa relação atrevida, uma bolha incorpora outra bolha até um resultado estável. A tendência entrópica controla-se num erotismo que dissolve o paradigma procariótico de um único ambiente interino. Num espasmo vesicular, a vida abraça-se em novos compartimentos intracelulares num prenúncio eucariótico.
 ( Antonio Piedade)

25 de abr de 2011

FOGUETE DE PROPULSÃO

CONTEÚDO: “força de ação” e “força de reação”

MATERIAL
Um balão de gás, um canudinho, 10 metros de barbante e fita crepe.

COMO FAZER
• Passe o barbante dentro do canudinho. Fixe uma das extremidades do barbante em uma porta, cadeira ou outro local.
• Encha o balão com ar e segure a boca dele de modo a não deixar o ar escapar.
• Peça a um colega para fixar o balão no canudinho com a ajuda de um pedaço de fita crepe.
• Solte a boca do balão para liberar o ar aprisionado em seu interior e observe o movimento do “foguete balão”.


CONCLUSÃO
Quando você solta a boca, as paredes do balão se contraem e o ar é “ejetado” para fora. Não esqueça de indicar que material exerce a “força de ação” e que material exerce a “força de reação”.
Quando o “foguete balão” é utilizado várias vezes, a borracha que o constitui começa a perder elasticidade.

19 de abr de 2011

COMO SEPARAR A MISTURA


CONTEÚDO: Separação de misturas

MATERIAL
Enxofre
Limalha de ferro / copo de vidro
Sal de cozinha é o cloreto de sódio (NaCl)
Papel de filtro / água
Lamparina

PROCEDIMENTO
Separação magnética: colocar a mistura de enxofre e a limalha num prato descartável. Aproxima-se o filtro (com o imã dentro) para retirar a limalha de ferro.

Dissolução Fracionada: a mistura restante vai para o copo, no qual adiciona-se água para dissolver o sal. Aí vem a filtragem. O enxofre fica no papel e apenas a água salgada filtra.

Destilação simples: passa-se parte da solução filtrada ao copo de vidro. Levar ao fogo, o aquecimento vaporiza a água e cristaliza o sal. Usa-se o prendedor de roupa para retirar o copo do fogo.


18 de abr de 2011

EXPERIÊNCIAS DE MUDANÇAS DE ESTADO

A curiosidade natural do homem, o leva a explorar o ambiente que o cerca, observando, analisando, realizando experiências, procurando saber o porquê das coisas. Nesta atividade, exploradora e investigativa, o homem adquire conhecimentos. Muitos desses conhecimentos são usados para melhoria de sua vida.
O homem aprendeu a utilizar o fogo como fonte de luz e calor, a água para mover uma roda, o vapor de água para movimentar máquinas, o vento para movimentar o moinho e barcos a vela, dessa maneira atingiu um conhecimento tecnológico.
Por outro lado, essa curiosidade natural o leva a sistematizar os conhecimentos adquiridos, procurando saber como e porquê acontecem, fazer comparações e analogias, estabelecer relações de causa e efeito, que lhe permitam fazer previsões. Neste caso ele adquire um conhecimento científico dos fatos.
 
Objetivo :
Mostrar que, a uma certa temperatura, os materiais mudam de estado. Contexto A troca de calor entre materiais, ou seja, propagação de energia térmica, pode causar mudanças nos materiais que trocam energia. As principais mudanças que podem ocorrer num material devido à variações de sua energia térmica são: variação da temperatura, variação de volume e mudança de estado físico. Todos os materiais são formados por moléculas (menor parte da matéria que conserva as característica de uma substância), sendo que a maioria dos materiais que encontramos na natureza são formados pela mistura de diferentes substância.s 

Material:
  • vela
  • naftalina
  • colher
  • esqueiro/fosforo
  • Procedimentos:                                                                                                                                   Coloque na colher a naftalina que foi retirada. Acenda a vela e a fixe em algum lugar. Segure a colher logo acima da chama da vela. Espere a naftalina até derreter. Retire a colher de cima da chama e espere a naftalina esfrie até evaporar. Volte a segurar a colher logo acima da chama da vela. Espere até que a parafina se decomponha, passando para o estado gasoso.

9 de abr de 2011

:: FAPEAM - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas ::

:: FAPEAM - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas :::
Excesso de CO2 pode alterar ciclos das florestas tropicais
Projeto estuda efeito das mudanças do clima local e global na fisiologia e no crescimento de espécies arbóreas (Foto: Christoph Berquet)

30/03/2011 - As florestas tropicais abrigam mais de 50% das espécies do planeta, contêm cerca de 40% da biomassa terrestre e anualmente fixam seis vezes a quantidade de carbono liberado anualmente na atmosfera.

Inovação, inovadores

Meritória a iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Amazonas (Sect-AM) criando o Fórum de Inovação do Amazonas. A primeira reunião do oportuno coletivo atraiu a atenção de representantes de, pelo menos, 27 instituições de ensino e pesquisa em funcionamento no Estado. Os pronunciamentos ouvidos durante a reunião alimentam esperanças de que os objetivos serão alcançados.

7 de abr de 2011

Espermatozoides são criados em laboratório pela 1ª vez no Japão

G1 - Espermatozoides são criados em laboratório pela 1ª vez no Japão - notícias em Ciência e Saúde: "– Enviado usando a Barra de Ferramentas Google"

 Um grupo de pesquisadores da Universidade de Yokohama, no Japão, conseguiu produzir espermatozoides saudáveis de camundongos em laboratório. Segundo a equipe do departamento de urologia, liderada pelo professor Takehiko Ogawa, o método pode ser melhorado no futuro para uso em humanos, sendo útil para diagnosticar e tratar problemas de fertilidade masculina.

O feito é explicado na edição desta quinta-feira (24) da revista "Nature". A técnica consiste em retirar pequenos pedaços dos testículos de camundongos com idade entre 3 a 5 dias, por meio de uma cirurgia conhecida como biópsia. Os tecidos foram levados em seguida para cultivo em placas com um material que garantiu a sobrevivência das células.

6 de abr de 2011

BIOLOGIA

O que é Biologia 
A Biologia é a ciência que estuda a vida, ou seja, os animais, vegetais e todos os seres vivos de nosso planeta. Esta ciência é de extrema importância para o entendimento do funcionamento do nosso ecossistema. Cada vez mais o homem utiliza os conhecimentos de biologia para melhorar as relações que os seres vivos possuem na natureza.
Leia abaixo um histórico resumido dos avanços obtidos pelo homem na área da biologia:
350 a.C. - O filósofo grego Aristóteles faz a primeira classificação dos animais.
180 - O médico grego Galeno desenvolve um estudo sobre o sistema muscular do ser humano.
1242 - O árabe Ibn An Nafis desenvolve a idéia de que os ventrículos ficam isolados um do outro.
1316 - O biólogo  italiano Mondino de Luzzi  escreve o primeiro livro conhecido sobre anatomia do ser humano.
1543 - O biólogo belga André Vesálio escreve um importante estudo sobre a anatomia e publica o livro Sobre a Estrutura do Corpo Humano.
1653 - O naturalista sueco Olof Rudbeck descobre a existência e funcionamento dos vasos linfáticos.
1766 - O fisiologista suíço Albrecht von Haller cria a neurologia ao observar o funcionamento dos nervos e músculos do corpo humano.
1773 -  O biólogo dinamarquês Otto Friedrich Muller aprofunda o estudo sobre os micróbios.
1812 - Com seus estudos sobre animais extintos, o naturalista francês George Cuvier cria a Paleontologia.
1858 - Os biólogos ingleses, Charles Robert Darwin e Alfred Russel Wallace desenvolvem a Teoria da Evolução das Espécies.
1862 - O químico francês Louis Pasteur identifica germes e faz estudos sobre a relação dos micróbios com determinadas doenças.
1865 - O  austríaco Johann Gregor Mendel desenvolve estudos sobre genética, verificando a transmissão de características físicas de pai para filho.
1889 - O espanhol Santiago Ramón y Cajal  elabora a Teoria dos Neurônios.
1912 - O bioquímico polonês Casimir Funk realiza importantes estudos sobre as vitaminas.
1913 - O bioquímico norte-americano Elmer Cerner McCollum descobre as vitaminas A e B.
1921 - O médico canadense Frederick Grant Banting desenvolve estudos sobre a insulina e técnicas de purificação.
1928 - Por puro acaso, o bacteriologista escocês Alexander Fleming (1881-1955) descobre a penicilina, o primeiro antibiótico.
1952 - O bioquímico inglês Frederik Sanger descobre a  estrutura química da insulina.
1973 -  Os bioquímicos norte-americanos Stanley H. Cohen  e Herbert B.W. Boyer  fazem experiência na área de engenharia genética.
1975 - As endorfinas, substâncias inibidoras da dor, são descobertas.
1980 - Pesquisadores norte-americanos descobrem e identificam o vírus da AIDS.
1997 - O embriologista escocês Ian Wilmut cria, em laboratório, o primeiro clone de um mamífero adulto: a ovelha Dolly.  

Japoneses criam primeiros espermatozoides em laboratório

estadão.com.br
SÃO PAULO - Pesquisadores japoneses conseguiram criar em laboratório os primeiros espermatozoides de animais mamíferos. A técnica, publicada na edição desta quarta-feira, 23, da Nature, era dada até então como impossível. Os cientistas acreditam que a descoberta pode ajudar a revelar como se dá a formação dos espermatozoides e, no futuro, auxiliar no tratamento da infertilidade em homens.
Bobjgalindo/Divulgação
Bobjgalindo/Divulgação
Mudança nas condições de cultura das células permitiu produção dos espermatozoides
Takehiko Ogawa e seus colegas da Universidade de Yokohama descobriram que a chave para a obtenção dos espermatozoides através da meiose estava em uma simples mudança das condições de cultura. "O relatório é muito emocionante, pois representa o cumprimento de uma meta defendida por muitos biólogos durante muitos anos", diz Mary Ann Handel, especialista em genética reprodutiva no Laboratório Jackson, em Bar Harbor, nos Estados Unidos.
Por tentativa e erro, a equipe observou quais métodos de cultura permitiram que o esperma retirado de fragmentos de testículos dos camundongos amadurecessem. Para acompanhar o desenvolvimento dos espermatozoides, eles usaram uma proteína fluorescente que marcou células que passavam - ou já haviam passado - pela meiose.
Ali Honaramooz, biólogo reprodutivo da Universidade de Saskatchewan, em Saskatoon, no Canadá, diz que a técnica poderia ajudar os meninos pré-púberes prestes a passar por terapias contra o câncer, por exemplo, que destrói a fertilidade. A descoberta também poderia proteger o potencial reprodutivo de animais em extinção que morrem antes da maturidade sexual, acrescenta.
O procedimento também será útil para estudar os eventos moleculares subjacentes à produção de esperma, diz Martin Dym, biólogo celular da Universidade de Georgetown em Washington. Mas, antes que a técnica possa ser usada em tratamentos para a infertilidade masculina, os investigadores terão de gerar milhões de espermatozoides e traduzir o trabalho para as condições humanas, ele ressalta.
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,japoneses-criam-primeiros-espermatozoides-em-laboratorio,696816,0.htm

Os dez avanços científicos mais importantes de 2007, segundo a "Science"

1º - GENÉTICA DA DIFERENÇA
Em 2007, cientistas descobriram que cópias "repetidas" ou "apagadas" de genes modificam radicalmente o organismo. O avanço da tecnologia também permitiu ver que a diferença entre o DNA de duas pessoas pode ser o quíntuplo daquela imaginada.
2º - CÉLULAS SEM POLÊMICA
Cientistas produziram as primeiras células humanas pluripotentes (com potencial terapêutico) sem usar material embrionário. O achado acalmou os ânimos de grupos antiaborto contrários à destruição de embriões para pesquisar células-tronco.
3º - ONDE NASCEM OS RAIOS
Físicos descobriram a origem dos raios cósmicos de alta energia. São partículas emitidas a partir dos núcleos de galáxias, que acabam se acelerando no campo magnético de buracos negros.
4º - SUPERMOLÉCULA
Químicos elucidaram a estrutura do receptor "beta2-adrenérgico", molécula que gerencia os efeitos de diversos neurotransmissores e hormônios no corpo. A descoberta ajudará a criar remédios mais seguros e eficazes.
5º - ELETRÔNICA DOS ÓXIDOS
Uma série de estudos revelou que placas de óxidos de metais de transição possuem propriedades eletrônicas mais versáteis que o silício, material mais comumente usado em informática.
6º - INFORMÁTICA DOS ELÉTRONS
Cientistas descobriram uma nova maneira de separar elétrons de acordo com seu spin (propriedade semelhante à rotação), que pode vir a ser usada como uma forma de armazenar informação em chips.
7º - ESTRATÉGIA IMUNOLÓGICA
Médicos desvendaram como as células imunológicas TCD8 se dividem em grupos para combater invasores no organismo. Enquanto parte delas vai direto para o ataque, outra guarda na memória as informações sobre os inimigos.
8º - QUÍMICA EFICIENTE
Na química sintética, pesquisadores relataram a descoberta de vários métodos mais eficientes e baratos para construir moléculas complexas. O ajudará tanto a farmacologia quanto microeletrônica.
9º - FÁBRICA DE MEMÓRIAS
Uma série de trabalhos confirmou o papel do hipocampo --estrutura cerebral central-- na confecção de novas memórias. Cientistas mostraram como ele trabalha associando memórias para o cérebro imaginar cenários futuros.
10º - FIM DE JOGO
Num marco da inteligência artificial, canadenses criaram um programa de computador imbatível no jogo de damas. Foi o jogo mais complexo até hoje a ter uma solução matemática definitiva.