19 de jan de 2011

Estudo revela que algumas amebas praticam agricultura rudimentar

Cientistas identificaram a existência de uma espécie de ameba que pratica uma forma rudimentar de agricultura, já que transporta, cultiva e colhe seu próprio alimento, aponta um artigo publicado na última edição da revista "Nature".

A ameba Dictyostelium discoideum, encontrada no solo de algumas florestas, é um organismo conhecido por se alimentar de bactérias mas decide, em determinadas circunstâncias, não consumir todos os recursos de uma região para incorporar alguns micróbios a seu corpo, onde fertilizam, para depois depositá-los em um cultivo em uma nova localização, segundo puderam comprovar os cientistas.

O trabalho recém publicado, realizado pela cientista Debra Brock, da Rice University, no Texas, concluiu que o organismo unicelular desenvolve um comportamento "sofisticado e surpreendente" quando se alimenta, dado que um terço dos indivíduos desta espécie observados pelos pesquisadores mostraram habilidades parecidas às dos primitivos "agricultores".

A agricultura é reconhecida como um dos marcos da adaptação humana ao meio, e é um comportamento associado habitualmente às formas de vida que desenvolveram relações sociais estruturadas.
Os cientistas já tinham descoberto anteriormente que algumas espécies sociais de insetos, como os cupins e determinadas classes de formigas, são capazes de estabelecer sistemas de cooperação entre seus indivíduos e praticam algum grau de agricultura primitiva.
A ameba Dictyostelium discoideum, encontrada no solo de algumas florestas, é um organismo conhecido por se alimentar de bactérias mas decide, em determinadas circunstâncias, não consumir todos os recursos de uma região para incorporar alguns micróbios a seu corpo, onde fertilizam, para depois depositá-los em um cultivo em uma nova localização, segundo puderam comprovar os cientistas.

O trabalho recém publicado, realizado pela cientista Debra Brock, da Rice University, no Texas, concluiu que o organismo unicelular desenvolve um comportamento "sofisticado e surpreendente" quando se alimenta, dado que um terço dos indivíduos desta espécie observados pelos pesquisadores mostraram habilidades parecidas às dos primitivos "agricultores".

A agricultura é reconhecida como um dos marcos da adaptação humana ao meio, e é um comportamento associado habitualmente às formas de vida que desenvolveram relações sociais estruturadas.

Os cientistas já tinham descoberto anteriormente que algumas espécies sociais de insetos, como os cupins e determinadas classes de formigas, são capazes de estabelecer sistemas de cooperação entre seus indivíduos e praticam algum grau de agricultura primitiva.
(G1)

Fonte:  http://glo.bo/hGIVfI

Nenhum comentário:

Postar um comentário